27/12/2012

Medição da folga das válvulas no 3ZZ-FE

Verificação da folga das válvulas aos 11500km percorridos a GPL (140140km no total)... a parte mais chata do processo é esperar que o motor arrefeça (a medição das folgas deve ser feita a frio), tudo o resto é bastante simples:
Início
Cablagem, bobines e respiros removidos
Tampa das válvulas removida

Como rodar o motor sem fazer esforço... com a quarta engatada
Medição das folgas (válvula de escape)
As folgas registadas (escape/admissão esquerda/direita)

- válvulas de admissão: 0.15 a 0.25mm, valor medido 0.25mm
- válvulas de escape: 0.25 a 0.35mm, valor medido 0.35mm

Sendo o problema de desgaste revelado com a redução da folga... parece que ainda posso andar bastante até ter que me preocupar com válvulas derretidas.

Na última foto pode ver-se uma chave de bocas/luneta 10mm e 12mm, uma chave de caixa 10mm, roquete e acrescento, bem como uma chave philips, é tudo o que é necessário para remover os parafusos e porcas de fixação da tampa das válvulas e os dois respiros da mesma (estes últimos são apenas encaixados).

Próxima medição aos 50 mil quilómetros (por altura do retorno do investimento).

15/12/2012

Test drive: Auris 1.4 D4D

Por convite da Toyota Portugal pelo lançamento da nova versão do Toyota Auris, que desta vez passa a ter a variante carrinha, desloquei-me ao representante onde adquiri o Corolla o ano passado para realizar o test-drive desta nova versão.
A versão disponível para ensaio era a versão cinco portas do Auris equipado com o já bem conhecido motor 1.4 D-4D a debitar os mesmos 90cv e os mesmos 205Nm das versões anteriores... admito que não fiquei à espera de nada de bom, afinal de contas, já havia experimentado este mesmo motor no anterior Auris e não o achei de forma alguma suficiente para a utilização que lhe daria (pouca cidade e com algumas deslocações em viagem/passeio).
Exteriormente acho o resultado interessante, a nova versão do Auris tem umas linhas mais harmoniosas no geral e, quer a frente, quer a traseira, apresentam grupos ópticos mais esguios que a versão anterior, mais ao meu gosto do que o anterior.
Tratada a necessária papelada, entrámos no Auris e, aqui é que realmente fiquei agradado, o interior é mais convencional do que o anterior, de onde se destaca o painel central que funciona por toque do qual, não gostei, não pelas funções integradas, mas porque simplesmente um carro não é um telemóvel (algo na onda do iDrive da BMW teria sido muito mais do meu agrado, se não o complicassem à posteriori), as afinações da posição de condução permitiram achar uma posição bastante confortável, o painel de instrumentos entre o digital e o analógico (como é comum actualmente) é de fácil leitura e os comandos secundários são fáceis de alcançar (os quatro piscas estão mesmo à mão de semear, à esquerda do botão do rádio na zona central do tablier).
ao volante, não esperava milagres do pequeno Diesel, como também não esperava que este se demonstrasse melhor neste novo Auris do que no anterior... não aconteceu o milagre, mas de facto o motor parecia bem melhor neste Auris. Para um conjunto com sensivelmente o mesmo peso, o motor (1ND-TV) consegue não deixar transparecer que os cerca de 1270kg que propulsiona lhe estão a pesar (muito). Dinamicamente, também me pareceu uma boa evolução (apesar de ir acompanhado pelo funcionário do representante) o que deverá ser fruto de uma distribuição de pesos melhor e de ser um pouco mais baixo em altura total (1460mm versus os 1516mm na anterior versão).
Apesar das más línguas, acho este novo Auris bastante superior ao modelo anterior, menos irreverente no interior é certo, mas mais equilibrado, como produto, no geral... falta saber agora, se neste novo produto haverá queixas na fiabilidade como houve no anterior, a seu tempo se saberá.

06/12/2012

Yokohama C.drive 2

Yokohama Cdrive 2 195/60R15 88H
Ao fim de quase 20 mil quilómetros montados no eixo traseiro os Yokohama C.drive 2 passaram para o eixo dianteiro substituindo o par de Bridgestone ER300 que ainda resistia desde a aquisição do Toyota em Fevereiro de 2011, tendo estes percorrido nas minhas mãos cerca de 32 mil quilómetros sendo substituídos por estarem demasiado secos, pois o rasto que apresentavam ainda era mais do que suficiente para circular legalmente.
Para montar no eixo traseiro foram adquiridos dois novos C.drive 2 por 192€ (alinhamento de direcção incluído no preço).

A diferença entre os Yokohama e os Bridgestone é abismal, e aqui posso mesmo estar a ser injusto na análise aos Bridgestone por estarem secos, onde os Bridgestone davam sinais de escorregamento os Yokohama mostram muito mais aderência, quer em piso seco, quer em molhado. O nível de ruído é semelhante, mas há menor vibração ao rolar com os C.drive e estes permitem maiores velocidades em pavimento com água (menor risco de hidroplanagem), bem como tornam a direcção do Corolla mais "informativa" ao condutor (deixou de parecer que conduzia sobre uma almofada de ar).
Nota negativa, aparentemente e a carecer de confirmação com mais alguns quilómetros, para os consumos. Os C.drive parecem provocar um aumento nos consumos substancial, o que em parte era de esperar visto que estes, efectivamente, agarram o carro à estrada, mais atrito implica maior consumo.

17/11/2012

Revisão aos 137mil quilómetros

A percorrer uma média de 460km/semana chegou a altura de nova revisão ao Corolla, desta vez aos 137237km, segundo o plano de manutenção da Toyota esta é apenas um serviço de mudança de óleo.
ainda faziam mais uns milhares
limpeza dos cubos
A conselho do mecânico foram trocados os discos e as pastilhas do eixo traseiro, o conjunto montado era da marca Blue Print (marca do grupo Febi Bilstein), foi trocado o óleo dos travões/embraiagem e lavado o depósito.
O óleo de motor colocado é também da Febi, sintético, com a graduação 5W30. Esta é a viscosidade recomendada pela Toyota para estes motores (3ZZ-FE), apesar de em Portugal ser, regra geral, colocado o 10W40 nas revisões efectuadas nos concessionários da marca. A vantagem deste novo óleo em comparação com o anterior deverá ser notória num arrancar a frio mais fácil e numa pequena redução dos consumos, algo que, só daqui por alguns depósitos de GPL se poderá confirmar.
Foi também lubrificado o actuador da embraiagem que rangia, algo que parece ser um ruído crónico destes Corollas, o actuador foi limpo e posteriormente lubrificado com massa de cobre. Problema resolvido! O transporte do dia-a-dia está pronto para mais 15 mil quilómetros ou um ano (pela média da distância percorrida nas últimas semanas, para os finais de Junho, princípios de Julho, farei a próxima já na casa dos 152 mil quilómetros).
resultado final
Custo do óleo, do óleo dos travões, dos discos e das pastilhas, 94,91€.
Por resolver está ainda a questão da comutação automática para gasolina quando o depósito de GPL chega ao fim, apesar da boa vontade do instalador e da actualização de software do sistema da Vialle, este continua a não comutar. A situação foi reportada e espera-se uma resposta do fabricante do sistema de GPL.
Ainda falando do GPL, derivado das últimas variações de preço dos combustíveis (gasolina e gasóleo desceram na casa dos 10 cêntimos e GPL a subir na ordem dos 6 cêntimos), a poupança por quilómetro baixou dos 47% para os 39%, uma diferença que atrasa a recuperação do valor investido na instalação, mas ainda assim, compensa comparativamente até a um carro movido a gasóleo.
Até agora foram percorridos a GPL 8847km ao longo de quatro meses e meio, totalizando uma redução de despesas em combustível de 417,54€. Falta recuperar 1919,46€ (recuperados em aproximadamente 40500km).
eliminação do ranger da embraiagem


Todo o trabalho foi realizado na oficina SMARTinho.

26/10/2012

A não comutação automática de GPL-gasolina

O problema da comutação ainda não está resolvido, segundo informações do instalador do sistema, havia novidades (isto é algo resolvido a nível de software) mas a solução não era definitiva.
Nota ainda para um ligeiro soluçar em esforço numa subida de declive acentuado.

Neste momento a quilometragem a GPL já passou a barreira dos 5000km com uma redução na despesa de combustível na ordem dos 46,8% e totalizando uma poupança de 245,35€ nos três meses de utilização do sistema.
Falta assim "recuperar" 1991,65€, o que ao ritmo actual, demorará mais dois anos a recuperar e uma distância aproximada de 38750km.

Para breve está a revisão aos 136 mil quilómetros.

08/10/2012

Manual BMW E30: Bentley Publishers

Manual de Manutenção do BMW série 3 E30 da editora Bentley Publishers, cobre a manutenção dos 318i, 325, 325e, 325es, 325i e 325is, blocos M10 e M20, não são contemplados neste manual os blocos M40, S14 e a versão diesel M21, apesar de não serem abordados há à mesma muita informação disponibilizada no que toca as restantes componentes do E30.

Para descarregar basta clicar AQUI.

10/09/2012

21/08/2012

Verificação da folga das válvulas

O receio de desgaste prematuro das válvulas do 3ZZ-FE que equipa o Corolla devido a este motor ter válvulas macias é algo que me acompanha, e passada que estava a barreira dos 2500km a GPL (131357km no conta-quilómetros total), decidi verificar a folga das válvulas (em particular as de escape, pois são as sujeitas a maior desgaste).
Os valores da folga indicados pela Toyota são, para as válvulas de admissão, 0.15-0.25mm e de 0.25-0.35mm para as válvulas de escape, isto medido a frio. A folga lida foi 0.20mm nas de admissão e de 0.30mm nas de escape, perfeitamente dentro dos valores requeridos para o perfeito funcionamento do motor.
Próxima verificação, com as devidas fotos ilustrativas, daqui por 5000km.

11/08/2012

Revisão: sistema de GPL

Revisão feita ao sistema de GPL (a única, aos 1500km) e para resolver apenas o facto de, quando o depósito está quase vazio, o sistema não comutar automaticamente para gasolina. Depois da correcção nas oficinas do instalador (FrontFuels) falta testar para saber se este "problema" ficou resolvido.

Até agora foram percorridos 2402km a GPL, com uma média de consumos de 7.77 litros para 100km (18% mais do que os consumos a gasolina), tendo poupado 119.78€ desde a instalação.

05/07/2012

Vialle LPi pela Front Fuels

Instalação do sistema de injecção líquida (finalmente) concluída. A demora na instalação foi devida a uma incompatibilidade do programa da centralina do sistema de GPL, após a correcção desse problema e pelos cerca de 160 quilómetros percorridos hoje à experiência, não parece haver qualquer tipo de diferença na resposta do motor, no entanto, sobre os consumos ainda não me foi possível averiguar o quão diferentes poderão ser.

Sistema de injecção líquida da Vialle com um depósito de 47 litros, que atesta com cerca de 39 litros na bomba, e que, em teoria, permitirá percorrer uma distância de 476 quilómetros (partindo do princípio que o indicado no manual se regista, 20% a mais de consumo a GPL, usando como referência os 6.58l/100km registados até agora a gasolina).
Segundo o instalador, visto que este sistema não tem filtro de GPL, a manutenção é virtualmente inexistente e o desgaste prematuro das válvulas é eliminado devido ao efeito de expansão do gás, em conjunto com a injecção pontual de gasolina, que causam uma redução de temperatura na câmara de combustão.

Mais notícias em breve.

04/06/2012

Resumo da despesa de 14 meses

O Corolla está neste momento a receber a instalação de um kit de GPL, aproveito para colocar a evolução dos consumos dos 14 meses em que andou exclusivamente a gasolina (o valor mais elevado ao início coincide com o período de adaptação, o segundo pico corresponde aos consumos efectuados em férias, onde a circulação foi maioritariamente em AE)
A evolução do preço do combustível durante o mesmo período (com muita ajuda de cupões de desconto e de descontos de fim-de-semana nas gasolineiras)...

A também as médias, a total, a melhor e a pior, bem como a despesa diária e custo por quilómetro, entre outras contas.



30/01/2012

Revisão: Citroen C1 1.4HDi

Resultados da "crise": comprar o material e encontrar alguém que faça o trabalho de substituição.
O visitante de hoje era um pequeno Citroen C1 com pouco mais de quatro anos, com 60 mil quilómetros, estava na altura de fazer a quarta revisão de acordo com o manual de manutenção.
O motor é um produto da união Ford/PSA, o 1.4HDi (que também equipa o Peugeot 107 e o Toyota Aygo) que debita, nesta versão, 54cv às 4000rpm e tem um binário máximo de 130Nm às 1750rpm.
Segundo o manual, o tempo de espera para verter completamente o óleo deverá ser de, aproximadamente, 15 minutos, para ser franco, 15 minutos é o tempo que demora a fazer a revisão completa de filtros e óleo!

Para começar, há que levantar o carro, de preferência do lado esquerdo do mesmo, remover o plástico que cobre o cárter tirando quatro molas, estas são reutilizáveis, bastando apenas remover o centro das mesmas rodando-os de forma a que saiam, de seguida é desapertar o bojão e esperar... Enquanto se espera, podemos rentabilizar o tempo trocando o filtro do ar. Para tal basta remover o plástico que cobre o motor puxando-o para cima, desapertar três parafusos torque assinalados na foto (clicar para aumentar), levantar o plástico tendo em atenção que do lado contrário da caixa do filtro não há parafusos e apenas encaixes plásticos, e o filtro está o filtro exposto. Tirar o velho e colocar o novo no local, invertendo o processo. Tempo de trabalho... 5 minutos, se tanto! 

Por esta altura já a maior parte do óleo saiu, e pode tirar-se o filtro do óleo. Este é mais fácil de tirar do que à primeira vista o acesso indica, apenas é necessário remover o tubo que liga ao filtro de ar e desapertar com uma chave angular de preferência para facilitar, tirar o filtro usado e colocar o novo, voltar a apertar, colocar o tubo no local e... pronto! Mais cinco minutos. Por esta altura já o óleo deverá ter escorrido, apertar o bujão (colocando uma anilha nova!), meter o óleo a nível (3.75 litros de óleo 10W40 semi-sintético ou 5W30 sintético), e seguir até à próxima revisão por volta dos 75832km.

01/01/2012

Análise de custos 2011

Percorridos no ano de 2011 um total de 18700km, onde cerca de 2000km foram feitos ao volante do BMW 318tds e 16700km ao volante do Toyota Corolla.

Despesas
  • Pneus: 170,00€
  • Revisões: 239,55€
  • IPO: 28,18€
  • IUC: 52,84€
  • Seguro: 222,97€
  • Acessórios: 33,89€
  • Peças substituídas: 50,49€
  • Combustível (gasóleo e gasolina): 1907,83€
  • Alienação e aquisição: 4000,00€
Total da despesa: 6705,75€ (0,36€/km)

O valor da despesa seria de 14 cêntimos por quilómetro se fosse excluída a diferença entre a aquisição do Corolla e a alienação do 318tds.